Encruzilhada


Domingo, 00:02.
Oceans do Seafret é o que toca.
"Trate triunfos como funerais, e funerais como triunfos", essa frase não sai da minha cabeça de modo algum.
É tão engraçado, aos 18 anos tenho tantos planos, tantas coisas que um dia não sei se irei viver. As vezes a vida é como uma encruzilhada caminhos distintos a seguir. Que te levarão a outros caminhos, te possibilitando novas experiencias, e novos caminhos a seguir.
Paro para analisar como as coisas mudaram.
E continuam a mudar.
Com 08 anos, queria ser patinadora profissional.
Com 12, queria trabalhar na mesma área que meus pais (RH/Logística)
Com 13, teria minha própria livraria
Com 14, resolvi que seria jornalista.
Com 15, faria Relações Públicas (uma das poucas coisas que acredito que ninguém saiba);
Com 16, decidi que daria aulas.
Com 17, não sabia o que fazer da minha vida.
Com 18, me tornei Comissária.
E agora beirando os 19, volto a ficar pedida. é engraçado né? Se eu contasse metade dos planos que tive durante esses últimos anos, vocês provavelmente achariam uma esquisitisse.
Entretanto, uma coisa que esteve sempre presente foram os meus planos infalíveis. Ao estilo Cebolinha. Como por exemplo,já arquitetei um projeto de leitura para crianças, um entre tantos que já se perderam com tempo.
Tenho visto, tanta coisa errada, tanta coisa que precisa mudar, tanta gente a procura de uma luz no final do túnel. E eu continuo aqui perdida em mim.
É esquisito, anos atrás se me dissessem que eu estaria aqui, no ponto que estou hoje do modo que eu estou, simplesmente riria e sairia andando.
E agora, se o destino realmente existe eu entendo o por que de me ter feito voltar. Mas, isso não diminui o labirinto em que me encontro.
Domingo, 21:03. (Um dia para escrever esse texto)
E o que toca? Só Sei Dançar Com Você da banda Tulipa Ruiz.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entrevista: Maria Venture - Youtuber

Entrevista: TriGo! - Música

WIshlist: Livrinhos mais Amorzinhos